Pecados

Área Privada

Vídeos

Descarregar

Suporte

Autores

Testemunhos

Int. aos Capítulos






Funcionários do ódio
18Jun2010 20:19:45

BLOGTOK | CICLOS DE POESIA | 7 PECADOS | IRA | LUIZ FELIPE COELHO



Chamados raivosos de aço a convocar multidões
para jardins odiosos
onde genocídios saem dos dicionários
e empilham cadáveres na grama
enquanto os gritos do saque
e as ondas da maldade
respingam sangue distraídos.

Matar
e beber uma cerveja gelada,
matar
e ir dormir um pouco,
matar
e levar brinquedos para os filhos.

O horror da facilidade da morte e da raiva
para espalhar cadáveres homogêneos
tem a profundidade de grandes lagos alpinos
de águas límpidas, azuis, sem vida,
e as frias serras que se vêem ao longe
a carregar pedras, gelo, vento e delírios arianos,
tem a secura dos grandes desertos a gerar deuses cruéis.
espelhados na dureza dos dias,
e a escrever o genocídio e a guerra santa
nos seus livros sagrados,
mas vai além.

Auschwitz? Nanking? Hiroshima? Cambodja? Ruanda?
Tian An Men? Srebrenica? Sabra e Chatila? Gaza?
Assim os vemos e nos acalmamos,
estranhas consoantes e vogais enfileiradas
em distantes mapas,
e nós não somos eles
e nos regozijamos por sermos diferentes.
Será?

A distância é aparente,
o nome talvez seja sempre o mesmo
e seria fácil dizê-lo.

Em cada lugar uma máscara
só falando uma língua,
e admitindo apenas um alfabeto.

É a lógica das limpezas étnicas,
é a certeza dos estados nacionais,
é a manutenção da ordem social,
é o direito à revolução,
é uma única religião verdadeira.

Seria tão simples mesmo?
Seu impronunciável nome
é muito mais que tudo isto,
ele é a densa maldade sem espelho
a falar calmamente
e a matar.

BLOGTOK | CICLOS DE POESIA | 7 PECADOS | IRA | LUIZ FELIPE COELHO



Partilhar:

| Guardar em formato PDF
Artigos Relacionados
Ira
Fogo
Cólera
Ira
Ira
A Ira I
A Ira II


Para poder comentar necessita de iniciar sessào.